Como lidar com moradores problemáticos?

Alguns moradores realmente não entendem como viver em sociedade, o que acaba atrapalhando a vida de todos os outros ao redor. Esse problema agora pode ser resolvido de maneira mais efetiva. Leia na íntegra e entenda como prosseguir!

Advertências, multas e avisos. Muitas dessas coisas adiantam quando o caso é moradores problemáticos. Porém, em certos momentos, tudo isso ainda não é suficiente. O que fazer então?!

Viver em condomínio deve ser um ato de empatia e respeito. Afinal, se um morador decidir fazer festas todos os dias, acumular lixo, não fazer a limpeza adequada causando infestação de insetos, gritos e brigas de madrugada, ele realmente não está nem aí para nada e ninguém. Muito menos para as regras. 

O que sempre preocupou os síndicos, agora parece haver uma luz no fim do túnel. Moradores problemáticos, poderão ser expulsos de seus apartamentos em caso de não cumprimento das leis e não pagamento de multas. 

O que antes era uma luta interna para o controle e colaboração de todos, agora poderá ser levado para fora do condomínio. O síndico terá cada vez mais a responsabilidade de investigar e apontar os erros, com uma finalidade jurídica. 

Claro, todos os moradores estão passíveis de erros. Porém, comportamentos surreais e que não melhoram mediante multas, avisos e advertências poderão ser levados para a Justiça.

Caso isso estiver acontecendo dentro de seu condomínio, tenho alguns conselhos: 

1º – Reúna os outros condôminos para buscar apoio. 

2º – Faça uma assembleia, para informar a todos a situação e escutar os condôminos, você como síndico deve manter uma postura neutra.

3º – Junte todo o histórico dos moradores problemáticos, com fim de juntar todas as provas.

Dica extra: Caso sinta necessidade, faça um boletim de ocorrências, para constar como mais uma prova.

Muitas vezes, nesses momentos o melhor a se fazer é entrar em contato com o advogado do condomínio e tirar todas as dúvidas sobre a expulsão, e como lidar com os próximos passos. Afinal, cada caso é um caso e há muitas possibilidades de resolução. 

Posso dizer que isso é de fato um momento estressante e desafiador para qualquer síndico,  você já passou por isso no seu condomínio?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.